A nossa

Iniciativa

Apresentação

A Iniciativa desafia os reclusos selecionados a cuidar, educar e treinar cães “sem família”, tornando-os mais “adaptados” à vida em comunidade.
A “Pelos 2” assume uma posição pró-reabilitação, mudando vidas de forma ativa. Atua de forma sinergética na reabilitação de indivíduos: por um lado com os reclusos (dotando-os de ferramentas para poderem procurar uma vida ajustada em sociedade, reduzindo os conflitos promovidos entre pares, trabalhando competências de comunicação, entre outros); por outro com os cães (capacitando-os para a vida em família e potenciando a sua adoção).

Recluso desenvolve relação como cuidador
O cão ganha um humano que o ensina
A comunidade consegue pessoas reabilitadas e cães socialmente ajustados

Queremos criar uma segunda oportunidade uma oportunidade de reabilitar socialmente reclusos e cães sem família, para que ambos possam voltar a ter lugar digno na sociedade; uma oportunidade que fomente a criação de vínculos a responsabilidade e a ocupação útil de tempos livres.

Para garantir o bom funcionamento, prevê-se duas formas de atuar:

Regime Ambulatório

No regime Ambulatório, os EP irão receber a equipa da Pelos 2 acompanhada pelos cães selecionados para integrar o programa, que ao longo do dia irão trabalhar com os diferentes grupos previstos em contexto prisional. Os cães serão recolhidos nas organizações protocoladas e transportados em viaturas equipadas para o efeito.

Regime Permanente

Os EP abrangidos por este regime de atuação da Pelos 2, preveem o alojamento para os cães pré-selecionados nas instalações dos EP em equipamentos instalados para o efeito, onde os reclusos irão cuidar, educar e treinar, assegurando o bem-estar dos cães durante toda a iniciativa – sempre acompanhados por profissionais da Associação, com formação em educação e treino canino.

Abordagens

Em qualquer uma das modalidades descritas anteriormente serão trabalhados grupos de seis binómios (educadores e aprendizes) em sessões de uma hora com frequência bissemanal. Nos restantes dias, os cuidados serão assegurados pela equipa da Associação em articulação com Embaixadores capacitados para o efeito.

cãocão

Metodologia

Dois passados negativos, num futuro positivo para ambos.

A Pelos 2 prevê que reclus@s trabalhem cães “sem família” em contexto prisional, para que estes possam tornar dois passados negativos, num futuro positivo para ambos. Os reclus@s possam cuidar, educar e treinar, assegurando o bem-estar dos cães durante toda a iniciativa – sempre acompanhados por profissionais da Associação.
Este processo de responsabilização terá a duração de 3 meses para cada grupo de reclus@s participantes, e será ciclicamente repetido até ao término da Iniciativa. Estes 3 meses, será o tempo de que dispõem cada grupo de reclusos para educar devidamente cada cão, para que este desenvolva competências comportamentais, atitudinais e de habilidades que propiciem a sua posterior adoção. Ao longo dos três meses, os participantes serã o orientados, instruídos e supervisionados para o trato e cuidado dos cães pela equipa de treinadores da DTC Social® (que estarão alocados a tempo inteiro a esta função); bem como terão acesso a sessões formais de treino com vista ao trabalho para aquisição dos comportamentos pró-sociais do cão.
metodologia com os cães
Fora das sessões de treino, cada recluso participante terá de garantir a gestão do dia-a-dia do cão que lhe foi atribuído, sendo responsável por atender a todas as suas necessidades: sejam estas de ordem fisiológica, de lazer, treino ou higiene. Embora o cuidado seja prestado pela pessoa reclusa, os treinadores oficiais da equipa DTC Social® estarão sempre presentes para supervisionar todas as interações recluso-cão, bem como para garantir a qualidade do acompanhamento a cada cão.
metodologia com os cães

A Iniciativa será implementada através das seguintes atividades:

As atividades (1) a (6) repetir-se-ão ao longo de cinco* ciclos por forma a abranger o número total de beneficiários propostos pela Pelos 2.

*Período em que o programa decorrerá sob o financiamento em curso. É nossa intenção manter o programa posteriormente, integrando as melhorias resultantes das necessidades auscultadas, resultantes da experimentação da metodologia em contexto real.

Seleção de Indivíduos ícone

Seleção de Indivíduos a Envolver

Seleção dos reclusos e cães e respetivo emparelhamento, pela equipa da DTC Social®, conjuntamente com as equipas dos EP e das organizações que trabalham com cães “sem família” envolvidas (respetivamente);

Compromisso ícone

Compromisso

Sessão de apresentação da Pelos Dois aos reclusos pré-selecionados, através de uma sessão de Atividade Assistida por Cães ministrada pela DTC Social®, juntamente com a apresentação dos Direitos e Deveres dos envolvidos. Cada recluso deverá assumir (e assinar) um Termo de Compromisso em como tem intenção de participar na iniciativa e tomou conhecimento das suas implicações;

Formação ícone

Formação

Formação teórica dos grupos de reclusos que integram a iniciativa, sobre competências de comunicação e treino canino baseado em reforço positivo, livre de força ou medo (com sessões dinamizadas na presença de cães treinados para integrar programas de Intervenção Assistida por Animais da equipa).

Emparelhamento ícone

Emparelhamento do Binómio

Nesta fase, serão formadas duplas com os beneficiários da Iniciativa (recluso e cão), mediante as suas características individuais e as Prioridades de Intervenção definidas para cada um, com o cruzamento de dados entre a Equipa DTC Social® (psicólogo(a) e treinadores) e as equipas dos Serviços de (Re)educação dos EP.

Trabalho em Binômio ícone

Trabalho em Binómio

Fase durante a qual o recluso atenderá a todas as necessidades do cão a seu cargo, durante 3 meses, sejam: comida, água, limpeza dos espaços, banho, tempo de lazer e tempo de treino. Estão previstas sessões formais, com frequência bissemanal, em grupos de seis binómios, por parte dos treinadores da DTC Social® para acompanhamento da evolução do trabalho desenvolvido pelo recluso com o cão que foi confiado. Esta é a fase mais importante da Intervenção, ao longo da qual tanto o recluso como o cão deverão revelar sinais de crescimento socio-emocional.

Validação ícone

Validação

No final do percurso dos binómios, haverá lugar a uma avaliação na qual os beneficiários demonstrarão os resultados obtidos com o seu trabalho. Pretende-se validar a aptidão do cão enquanto cão de família e a aptidão do recluso enquanto educador do mesmo.

Objetivos

Testemunhos Cães

Cães

Ver Patudos

Promover a sua inserção numa família

Capacitação para o dia-a-dia em comunidade (andar à trela, vir à chamada, obediência básica, ...)

Saber-estar (aceitar calmamente a aproximação de uma pessoa desconhecida, deixar-se manipular, ...)

Testemunhos Pessoas

Pessoas

Testemunhos

Promoção da Saúde Mental

Desenvolvimento Pessoal e Social

Capacitação

Ocupação do tempo livre – de forma estruturante, educativa e útil

Resultados

6

Estabelecimentos Prisionais

0

EP em Regime Permanente

6

EP em Regime Ambulatório

51

Cães Aprendizes

6

Cães em Treino

35

Cães para Adoção

10

Cães Adotados

148

Reclusos

157

Educadores

3

Embaixadores

Faq's

Na Pelos 2 recebem cães de Associações ou Privados para integrar a escola?

Não! A Pelos 2 visa a reabilitação de cães “sem família” que estejam para adopção.

Qual o destino dos animais que não forem adotados?

Um dos objetivos da iniciativa é precisamente a integração dos cães participantes em novas famílias. O tempo de trabalho nos EP com cada animal permitirá uma avaliação mais aprofundada das características do mesmo, o que certamente ajudará, no processo de adequação comportamental do cão à vida quotidiana da futura família, propiciando o seu potencial de adoção. Permitirá ainda adequar as expectativas dos adotantes à realidade do animal, pois haverá um registo alargado das particularidades de cada um.
Paralelamente, a equipa da DTC Social® estará sempre atenta a traços distintivos dos animais participantes que possam apontar para a sua integração, não em famílias “normais”, mas em núcleos com funções específicas. Serão captados cães com temperamento que permitirão a continuação do trabalho iniciado na Pelos 2, para fins como: cães de busca e salvamento, cães de deteção, cães de ajuda social, entre outros.
Aqueles que não forem adotados no âmbito da iniciativa, nem captados para desempenharem funções específicas de trabalho, voltarão para o seu local de origem onde continuarão a aguardar adoção, com a mais-valia da aprendizagem prévia de competências úteis para o dia-a-dia da futura família.

Como são treinados os cães?

A DTC Social ® valoriza a relação entre humanos e animais, fomentando as capacidades de comunicação entre ambos. Assenta em princípios de respeito mútuo e de preocupação com a satisfação de necessidades que garantem o bem-estar dos animais em todos os momentos.
As metodologias utilizadas e transmitidas aos reclusos são de base científica, baseadas nos princípios da aprendizagem através de condicionamento. Estas metodologias não só estão comprovadas pela sua eficácia, como são consideradas de vanguarda na área do comportamento animal. A equipa responsável pela formação e acompanhamento in loco da implementação da iniciativa tem experiência e formação em metodologias force free, isto é, sem recurso à utilização da força ou intimidação física ou emocional dos animais.

Quem está envolvido na iniciativa?

  • Educador: reclus@s selecionados para integrar a iniciativa, de forma voluntária, que participam nas sessões de grupo dinamizadas em cada um dos EP envolvidos na Pelos 2 – em qualquer uma das modalidades, quer regime ambulatório, quer em regime permanente.
  • Aprendiz: cão selecionado para integrar a iniciativa, em cada um dos EP envolvidos na Pelos 2.
  • Embaixador: reclus@s selecionados, para apoiar as equipas de terreno da Pelos 2 nos EP que recebam a iniciativa em regime Permanente. Irão complementar o trabalho realizado pela nossa equipa junto dos cães acolhidos em fase de treino no programa.
  • Padrinho: pessoa ou entidade da sociedade civil que poderá apoiar o Pelos 2 por meio de um Patrocínio ou Apadrinhamento, garantindo a continuidade da Iniciativa num período pós-financiamento (através das parcerias para o impacto)
  • Adotante: pessoa que poderá adotar um cão treinado pelo Pelos 2, para que este integre a sua família.

Instituições

Promotor

DTC SOCIAL powered by Associação Cães pelas Pessoas

Proveniência dos Animais

PATA – Plataforma de Acolhimento e Tratamento Animal e SAVB – Santuário Animal Vida Boa

Financiamento

Parcerias para o Impacto da Estrutura de Missão da Portugal Inovação Social, como Investidor Social: Câmara de Gaia e Missão Continente

Avaliação de Impacto

Nas pessoas APLIXAR e nos cães i3S UP.

Com o apoio de

Dashi Global, Fundação DingoNatura e ZU.